sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Contradições

Os cafés no jardim do parque urbano da albarquel são todos num estilo de barraca, naquele material pré-fabricado roxo horrível. Não sei porque se optou por isso mas enfim, foram (más) escolhas que alguém fez.

Agora o que não entendo é estarem a construir, muito chegado ao rio, logo à  entrada do parque, um 'edifício de apoio ao material de jardinagem', em cimento, não vá o edificio cair em cima das máquinas de cortar relva. Além de tapar uma parte da vista para o rio logo na entrada do parque, é enorme e um contra-senso construi-lo em cimento, quando os cafés, o restaurante lá em cima e o outro edificio das crianças são naquele belo pré-fabricado. Num sítio normal seria ao contrário, os restaurantes em cimento, e a 'casa' para guardar o material em préfabricado. Mas em Setúbal somos inovadores. Porreiro pá.

Isto para não falar que o WC ainda consiste numa casa de banho das obras, daquelas de plástico.  Enfim..

6 comentários:

Robin disse...

Parque Urbano de Albarquel feito por concurso, onde se pretendia uma 'coisa' inovadora para esta Cidade vanguardista -> Arquitectos e Engenheiros pagos a peso de ouro.

Uma nova 'aberração' à beira-mar feita com a prata da casa.

WC de obras para não destoar nesta cidade permanente em obras infindáveis.

Nazgul disse...

Para ser sincero, começo a achar que este blog não serve para mais nada que não seja um descarregar de frustrações, além de que demonstra que o seu autor além de mal informado, inculto e ignorante, denota uma certa mesquinhez, a qual me faz pensar nas suas motivações... E digo isto, não apenas em relação a este post, mas na maioria dos posts relacionados com as obras em Setúbal...
Porventura acha que os edifícios construídos no Parque de Albarquel são assim de tão mau gosto? Já teve oportunidade de os visitar, de estar no seu interior, de olhar um momento para eles, deixando de parte o seu preconceito contra tudo o que é diferente? Já pensou por acaso, que é de extrema inteligência, e presença de espírito o facto do que chama pré-fabricado ser executado em materiais de fácil substituição, manutenção e decididamente muito mais baratos? E que o facto de o edifício de apoio à jardinagem estar de facto implantado no sentido transversal do eixo longitudinal do parque, procurando obstruir o mínimo possível a vista para o rio... E que os golfinhos que considera um tão grande testemunho da história sadina, não estavam lá colocados assim há tanto tempo, e que para olhos e mentes mais pertinentes, nem sequer são bonitos ou agradáveis... Já se informou porventura de um tal de decreto lei 163/06, que define a lei das acessibilidades e prevê a existência de percursos acessíveis e bem definidos, para pessoas com mobilidade reduzida, ou invisuais, daí as passadeiras elevadas em calçada?
Podia alongar-me neste discurso, mas isso seria de facto estar-lhe a dar um valor ao seu blog que de facto, não tem... Espero por fim que aceite a crítica de forma adulta e responsável e não apague este comentário... Seria finalmente, uma atitude válida no meio de uma maré de posts inúteis e descabidos...

José

albarquel disse...

É engraçado que quem discorda comigo não o saiba fazer sem me insultar. Se para si aqueles barracões de fácil substituição são lindos de morrer, parabéns, para mim são feios e não é por vir para aqui disparar em todas as direcções que mudo a minha opinião. Até porque, se são lindos, úteis, fofos, amigos do ambiente, dão orgasmos de prazer só de olhar, porque é que o edíficio de apoio à jardinagem construido de forma longitudinal assim e assado para mostrar que sei bué não é construido do mesmo material? Se os golfinhos são feios, porque é que não os removeram definitivamente, em vez de os meterem noutro sitio? Qual é o decreto lei que obriga a uma ciclovia seja construida aos ésses pode-me dizer?
A minha opinião é a da maioria dos setubalenses, não gosta paciência, mas tem que a 'gramar' porque ainda vivemos numa sociedade mais ou menos livre, por muito que custe a muitos donos da verdade.

Nazgul disse...

Viva

Esclareça-me apenas uma questão:
Qual o problema de uma ciclovia aos ésses? Da última vez que andei de bicicleta, esta ainda vinha equipada com um dispositivo que me permitia mudar de direcção sempre que necessário, mais vulgarmente conhecido por guiador... E qual é o decreto lei que obriga que a ciclovia seja em linha recta? Já pensou que o dito edifício de apoio à jardinagem está situado na zona do ringue, onde por exemplo, se pode jogar futebol... E é assim tão descabido um edifício em betão?
Sabe qual é o problema da internet? É que esta é de livre acesso a todos, mas não existe um filtro para seleccionar o que é útil do que é fútil... E sinceramente não é meu objectivo que mude de opinião. Apenas gostava que tivesse um opinião minimamente fundamentada, mais do que a peixeirada gratuita com que nos honra periodicamente... Se desejar esclarecer mais algum assunto não se iniba de me contactar... Terei todo o gosto

albarquel disse...

Mas porque motivo é que a minha opinião o incomoda tanto? Será que atinge-o pessoalmente? Quanto aos filtros, à futilidade, à peixeirada, porque é que volta cá? Ninguém o obriga :)

"Um blog é um site onde você pode postar rapidamente o que pensa, interagir com as pessoas e muito mais." Olhe ali..a parte do 'O QUE PENSA' diz-lhe alguma coisa?

Barao disse...

Não ligue a estes democratas de fachada. Continue a opinar e a defender o seu ponto de vista crítico desta miserável intervenção do POLIS.
Aquilo que está na Avenida Todi não é uma ciclovia. O Sr. Nazgul que vá a A Coruña ver o que é uma ciclovia. Aquilo (na Av. Todi)é desperdício de dinheiro dos contribuintes. Para não falar da rotunda-quadrada com banquinhos no meio para ver os carros a passar. Simplesmente magnífico!
O Parque Urbano é uma obra bem concebida, mas aquelas barracas horríveis (eu já lá estive várias vezes) não dignificam a restante intervenção. Para não falar outra vez nas casas de banho...
Mas se o "intelectual" ou controleiro de serviço a este blog quiser um tema interessante pode discutir a parede imobiliária para a frente ribeirinha de Setúbal que foi proposta pelo Executivo PCP na Câmara. Isso é que era um bom tema para a sua superioridade informativa e intelectual.